ivo ricardo de sá

É lindo, maravilhoso, meu sonho realizado, jogar futebol profissionalmente, tenho a oportunidade de conhecer países, cidades e locais apenas vistos pela televisão. Foram seis anos como amador, entre (1994-2000) e 11 anos jogando profissionalmente entre (2001-2012), muitas conquistas, derrotas, alegrias e tristezas. Após todo este tempo me deparo realmente com a realidade do futebol, nos últimos cinco anos (2007 – 20012) como profissional, ainda com 25 anos começo a viver a realidade que o futebol não mostra, meses sem receber um salário, clubes com infraestruturas precárias, convivendo com outros jovens ainda buscando realizar o sonho e mal tendo o que comer, roupa limpa para treinar e todas as dificuldades que esta realidade oferece. O que fazer? Tenho família, esposa e dois filhos. Preciso ajudar em casa, apenas minha esposa trabalhando, estávamos em 2012 eu com 30 anos e sem perspectiva de um grande clube e de bom salário. Vou prestar vestibular!? Será que vou passar!? Faz tanto tempo que não estudo. Pedi a Deus que me capacita-se e fiz minha inscrição somente na PUC-PR, para EDUCAÇÂO FÍSICA BACHARELADO, nem lembro minha segunda opção... kkk Pegar o resultado??? PASSEI......!!!! uhuuuuuuuuu...!!!! Com 30 anos de idade inicia-se mais um sonho, o final eu não sei, mas tenho a certeza que DEUS me concedera a AUTONOMIA e a DEDICAÇÃO necessária para escrever mais um capitulo da minha historia de vida. Obrigado PUC-PR por Cooperar com este sonho.

HISTÓRIAS DE VIDA
PHILLIPE HALLEY

Dedicação e Autonomia. Essas duas palavras, que carregam consigo uma forte carga de escolhas e experiências, ajudam a contar um pouco da minha história recente. Todavia, antes de entrar nesse breve relato, um resumo para situar-vos. Em 2005, comecei minha jornada acadêmica (essa caminhada será entendida em breve). O mundo da comunicação se apresentou, tão logo saí do ensino médio. Nesse primeiro momento, na forma do Jornalismo, com suas técnicas, teorias, leituras, textos, textos e mais textos. A magia da comunicação se revelava em cada pequena conquista: uma história que mereceria ser contada, uma matéria com uma denúncia, um programa com opiniões coerentes ou uma fotografia que desperte a população para um fato relevante. Somadas a essa responsabilidade de contar boas histórias, as expectativas pessoais e familiares se fundiam. Com a conclusão do curso em 2008 e a colação de grau no ano seguinte, me tornava o primeiro representante da família a conquistar um diploma universitário. Para eles: a grande conquista, motivo de orgulho e realização. Para mim: não menos. Porém, seria somente o primeiro passo, frente a diversas adversidades e dúvidas.

HISTÓRIAS DE VIDA
DARIANE

Tenho 26 anos de idade, sou formada e tenho mestrado. Hoje trabalho na área educacional, ensinando outras pessoas. Alguns me perguntam: Nossa, tão nova e já possui mestrado? Sim, possuo... Mas ninguém sabe como consegui tudo isso... Resumidamente, chama-se dedicação. Se a gente não colocar boa dose de dedicação naquilo que faz, muito provavelmente não alcançará o grande objetivo de vida. Falo isso pois sou formada em Medicina Veterinária, e para concluir esse curso, de cinco anos de duração, muitas foram as noites que fiquei estudando para uma disciplina.

HISTÓRIAS DE VIDA
ISMAEL CORDEIRO

Muitas pessoas me perguntam qual é meu sonho, e até alguns meses atrás eu responderia “eu estou vivendo meu sonho: fazer a minha faculdade!” Mas hoje, com quase um ano e meio de curso, já tenho novos sonhos, que em sua maioria a própria Universidade despertou. Eu sempre estudei em escolas públicas, então sempre tive uma esperança que caminhava junto ao medo: será que conseguirei cursar a faculdade dos meus sonhos? Hoje eu vejo que consegui, e isso é o que me faz dedicar-me dia e noite para ser um ótimo profissional. Ser o primeiro estudante de Engenharia da família é, para mim e meus familiares, motivo de muito orgulho.

HISTÓRIAS DE VIDA
PALOMA ORSO

"Você é uma pessoa dedicada". Após ouvir tantas vezes essa frase, comecei a perceber que meu esforço não deixava brecha para a preguiça. Deixar a preguiça de lado só trouxe resultados positivos, entre eles: prêmio de melhor aluna do ensino médio e participação no projeto de iniciação científica. Minha dedicação me levou à Polônia, por uma bolsa de intercâmbio da PUCPR e vai me levar ao Canadá pelo programa Ciência sem Fronteiras neste ano.

HISTÓRIAS DE VIDA
KADU

Nasci na cidade de Itapetininga, interior de São Paulo, onde morei até os 17 anos quando em conjunto com minha família decidimos que eu precisava buscar uma grande cidade para ter um melhor estudo focado para o vestibular. Nesse caso, já tinha decidido, o curso de Medicina Veterinária. E porque Medicina Veterinária? Paixão pelos cavalos, mesmo sem nossa família nunca ter sido criadora desses animais, eu estava sempre procurando estar no meio deles.

HISTÓRIAS DE VIDA
TUANNY

Minha história com a PUCPR começou em 2013. Já no primeiro ano de graduação, participei do PUC Jovens Ideias, junto com o Matheus Tomio, aluno de Engenharia de Controle e Automação. O nosso projeto, com o intuito de salvar vidas, foi premiado com o 1º lugar, o que me deu mais ânimo para continuar. Nesse mesmo ano participamos do Desafio Renault Experience, competindo com universidades do Brasil inteiro. Nosso projeto, Baby Bag, um sistema inédito de segurança voltado para crianças, ficou em 3º lugar, e hoje temos o processo de patente em andamento na França, junto com a Renault.

HISTÓRIAS DE VIDA
SOLIMAR

É com imenso prazer que hoje venho através deste contar-lhes um pouco da minha história de vida. Meu nome é Solimar Dutra da Silveira, estou com 19 anos de idade e sou estudante universitário. Venho de uma família humilde e muito simples. Natural de Boa Esperança do Iguaçu, interior do sudoeste do Paraná, com aproximadamente 2.800 habitantes, sou o filho mais velho dos meus pais, hoje com 37 anos (minha mãe) e 39 anos (meu pai). Quando eu nasci, minha mãe tinha apenas 17 e meu pai 20 anos. Fui o primeiro neto paterno e o segundo materno. Na época meu pai trabalhava em um posto de combustível, como meus pais estavam casados há apenas 2 anos, poucos bens materiais possuíam, sendo que um destes já existentes era uma simples casinha de madeira, chão batido com pedras trituradas de construção e pouquíssimos móveis dentro, em um terreno que havia sido comprado com economias do meu pai de quando ainda era solteiro. Minha mãe dedicava-se apenas a cuidar do filho recém-nascido.

HISTÓRIAS DE VIDA
PATRICK ESPAKE

Às vezes surgem em nossa vida oportunidades em que a decisão tomada pode mudar tudo. Foi esse o caso quando fui convidado a escrever um livro sobre tecnologia totalmente em inglês. Em um primeiro momento, pensei em todas as dificuldades, mas resolvi vencer os meus medos e seguir em frente. 1 ano depois, muitos finais de semana dedicados ao trabalho, publiquei meu livro na Inglaterra e descobri uma nova paixão. Hoje o meu livro está presente nas principais livrarias do mundo.

HISTÓRIAS DE VIDA